quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

HISTÓRIA DO CARNAVAL



Continuação da matéria sobre a história do carnaval e suas origens. As associações entre o carnaval e as orgias podem ainda se relacionar às festas de origem greco-romana, como os bacanais (festas dionisíacas, para os gregos). Seriam festas dedicadas ao deus do vinho, Baco (ou Dionísio, para os gregos), marcadas pela embriaguez e pela entrega aos prazeres da carne.

Havia ainda em Roma as Saturnálias e as Lupercálias. As primeiras ocorriam no solstício de inverno, em dezembro, e as segundas, em fevereiro, que seria o mês das divindades infernais, mas também das purificações. Tais festas duravam dias com comidas, bebidas e danças. Os papeis sociais também eram invertidos temporariamente, com os escravos colocando-se nos locais de seus senhores, e estes colocando-se no papel de escravos.

Mas tais festas eram pagãs. Com o fortalecimento de seu poder, a Igreja não via com bons olhos as festas. Nessa concepção do cristianismo, havia a crítica da inversão das posições sociais, pois, para a Igreja, ao inverter os papéis de cada um na sociedade, invertia-se também a relação entre Deus e o demônio.

A Igreja Católica buscou então enquadrar tais comemorações. A partir do século VIII, com a criação da quaresma, tais festas passaram a ser realizadas nos dias anteriores ao período religioso. A Igreja pretendia, dessa forma, manter uma data para as pessoas cometerem seus excessos, antes do período da severidade religiosa. (continua amanhã – parte III. (www.brasilescola.uol.com.br).

"MULHERES NEGRAS"


Professora doutora, Piedade Videira, está compartilhando a versão final de sua obra literária, “Mulheres Negras: Fortalezas Tecidas de Dores, Resistências e Afetos”. Parabéns, amiga.

CASAL


Adriano Almeida e Lica da Favela assinam como o 1º casal de Mestre Sala e Porta Bandeira, de Maracatu da Favela, para o carnaval 2010.
Ela está de volta ao posto que, há anos, brilhantemente ocupou, e ele continua, já que estava no posto. Formam um belo par e um casal nota 10. Boa sorte.

ATRAÇÕES


Intérpretes de sambas enredos de escolas do Rio de Janeiro, Bakaninha (Beija Flor) e Emerson Dias (Salgueiro), serão atrações no carnaval amapaense, esses já contratados por Piratas Estilizados para o desfile de 2020, além de Luana Bandeira (Tuiutí – SP), como Rainha de Bateria da escola alaranjada.

"CAIA NA FOLIA"


O tradicional baile de carnaval de salão, Caia na Folia, que não foi realizado em 2019, já tem data confirmada para acontecer em 2020. Dia 15 de fevereiro, na sede da Aseel (Rodovia JK), com assinatura do radialista, Azevedo Picanço. Informações: 98114-0202. Agenda aí.

FÁBRICA DE FESTA


Poetinha Osmar Júnior está lançando mais um projeto musical em sua carreira, o “Fábrica de Festa”, que destaca o ritmo do Brega, sua força e importância, como uma das maiores culturas musicais do Brasil, criação da região norte do país, mais precisamente do Pará.

“Nós temos uma fábrica, uma indústria, um movimento brega que envolve milhares de pessoas. Uma boa parte da população é simpatizante do brega, porque existe a dança e o povo nortista é de expressão indígena, negra e sua necessidade de se expressar é intensa”, disse o artista.

INTERNACIONAL


Cantora amapaense, Patrícia Bastos, irá realizar shows no México, em agosto de 2020, credenciada pelo Edital Internacional Ibermúsica. A produtora Duas Telas Produções é a responsável inscrição do projeto da artista. Parabéns.

Maracatu da Favela vai comemorar aniversário, nesta sexta (20), com participações especiais das escolas: Boêmios do Laguinho, Piratas da Batucada, Império do Povo, Piratas Estilizados e Império da Zona Norte.

O Encontro dos Gigantes 2, como é chamado o evento, ainda terá o lançamento do samba 2020 da verde e rosa, com o intérprete carioquinha (Rio de Janeiro), além de pontos técnicos da Maracatu e outras atrações convidadas.
Na quadra da escola (av: Padre Júlio, entre as ruas Santos Dumond e Marcelo Cândia) – Stª Rita, a partir das 22h.

PRAXIÚBA


É o nome popular de uma palmeira da família das Arecáceas (ex-Palmáceas), que ocorre na América Central e do Sul, e no Brasil, no estado do Amazonas. Trata-se de uma palmeira de até 25 metros de altura, com fruto de
forma globosa, com até 3 cm, de diâmetro, de coloração verde-amarelada, quando maduro. 

Domingo tem o Cortejo de Dezembro do Banzeiro do Brilho-de-fogo nas ruas da cidade

No 6º ano do projeto Banzeiro do Brilho-de-fogo, batuqueiros, açucenas e crianças do jardim finalizam os preparativos para o Cortejo de Dezembro, quando a iniciativa é celebrada nas ruas da cidade. A data marcada é dia 22 de dezembro e o público poderá acompanhar o cortejo musical em que as tradições e cultura do Amapá são homenageados pelos participantes. Os ensaios continuam ao longo desta semana, até esta quinta-feira, quando os instrumentos serão preparados para a apresentação.
O Cortejo é formado por três elementos do projeto, que são os Batuqueiros e tocadores de chocalho, as mulheres do Cordão das Açucenas, e as crianças do Jardim do Banzeiro. Junto com o batuqueiros, que tocam caixas de marabaixo, se apresentam os instrumentistas de sopro, e nos últimos cortejos foi acrescentado o pandeirão de batuque, introduzindo ainda mais as tradições no projeto. Dançadeiras de marabaixeiros e grupo de performance teatral e circence também percorrem o trajeto.
Por ano são realizados três cortejos oficiais, no aniversário de Macapá, 4 de fevereiro; em julho, o Cortejo de Verão; e em dezembro, para encerrar o ano. O projeto contempla ainda as artes visuais, que compõem o cortejo, e adereços e artefatos completam o cenário, deixando o desfile mais colorido e charmoso. Marabaixeiras em forma de sombrinha, o símbolo do projeto, o beija-flor, flores e traçados passam pendurados nas mãos sobrevoando o cortejo, e enfeitam as roupas, chapéus e corpo dos participantes. Outro detalhe que chama atenção são a personalização das caixas de marabaixo, todas com a identidade de artistas amapaenses e mestres da cultura popular, como Dô Sacaca, Pedro Bolão, Elson Jacundá, entre outros.
Nascido de um desejo de artistas e produtores culturais, de fazer um desfile em ruas e avenidas que retratasse nossas identidades natas, com música, tradições, tambores e cores, o projeto foi abraçado pela Prefeitura de Macapá (PMM), que é a principal incentivadora. Ele atrai grupos e famílias tradicionais, artistas de vertentes variadas, que fazem questão de desfilar junto com os integrantes, público e passantes, que param pra assistir o Banzeiro. Neste cortejo Banzeiro, os coordenadores, liderados pelo músico Adelson Preto, acrescentaram novas canções no repertório, que estão sendo ensaiadas pelos integrantes.
“É um projeto que hoje de vida própria, ele tem uma coordenação para organizar, mas sua alma são os participantes, que fazem questão de ensaiar e estar presente nos cortejos, tocando instrumento ou dançando. Ele foi pensado como um filho, para ser útil para a sociedade, e seu objetivo é promover a inclusão social e cultural, por isso, nestes anos de projeto, fomos para as praças, associações, áreas periféricas e escolas da cidade, encantar pessoas que nunca tinham visto uma caixa de marabaixo. Depois de ganhar muitos corações, passamos a nos concentrar na praça Floriano Peixoto, que é nossa referência, e nos últimos meses levamos o projeto para outros pontos mais distantes, como Oiapoque, mostrando que a geografia não impede a promoção da cultura”, disse Adelson Preto. Ele, junto com Alan Gomes, Paulinho Bastos, Meliossa Bastos, Ricardo Iraguany, compõem a coordenação do projeto.
Os ensaios estão acontecendo às 19h, na praça Floriano Peixoto. O desfile inicia na avenida Coaracy Nunes, ao lado da Fortaleza de São José de Macapá,, segue pela Cândido Mendes em direção ao Parque do Forte, até avenida Rio Vila Nova, onde o cortejo para em frente à casa do Mestre Nonato Leal para a homenagem. O ponto final é a Praça Floriano Peixoto, onde haverá mais um show com artistas acompanhados pelos músicos do Banzeiro.
Serviço:
Cortejo do Banzeiro do Brilho-de-fogo
Data: 22 de dezembro
Local de saída: ao lado do Mercado Central
Concentração: 15h
Saída: 16h
Destino: Praça Floriano Peixoto.
Mariléia Maciel

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

“Encontro dos Gigantes 2” marca o aniversário de Maracatu da Favela💚💖.


No dia 20 de dezembro, acontece em Macapá, “O Encontro dos Gigantes 2”. O evento programado para as 22h, marcará os aniversários do Grupo Rota Samba e de Maracatu da Favela que aconteceu no último dia 15.

A programação irá ocorrer na quadra da Maracatu, no bairro Santa Rita e terá como atrações, Rota Samba, Samba do Rei, Quintal do Moreiras, Shory e o sambista vindo diretamente do Rio de Janeiro, Carioquinha. 

Além de grandes atrações do samba e pagode Tucuju, o “Encontro dos Gigantes 2” marcará o lançamento oficial do samba de enredo de Maracatu da Favela para o carnaval 2020, além das apresentações de suas novas contratações que estarão desfilando na avenida do samba este ano.

Escolas de Samba amapaense também foram convidadas para o evento e estarão apresentando seus samba de enredo e casais de mestre-salas e porta-bandeiras. Por lá havérá a apresentação de Império do Povo, Império da Zona Norte, Piratas Estilizados, Piratas da Batucada e Boêmios do Laguinho, além de Maracatu da Favela, com seus principais pontos técnicos.

SERVIÇO:

Evento: Encontro dos Gigantes 2
Dia 20 de dezembro de 2019
A partir das 22h
Realização: Maracatu da Favela e Grupo Rota Samba
Local: Quadra de Maracatu da Favela
Avenida Padre Júlio entre Santos Dumont e Marcelo Cândia 

Instagram: @maracatudafavela

Fotos: Divulgação Maracatu
Contato com a Imprensa
99141-8420

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

O sabor da música tucuju


Música – Ritmo 

São muitos os estilos e sabores das composições musicais, produzidas no Amapá, que retratam em seus sons e ritmos o que de mais belo existe nesse estado ao norte do Brasil, que faz fronteira com a Guiana Francesa e às margens do maior rio do mundo, o Amazonas. Mas a temática é a mesma, as coisas do Amapá.
A linguagem da musicalidade tucuju, nas letras e melodias, são características verdadeiras de quem vive em um lugar com riquezas regionais espetaculares e verdadeiras, no meio da floresta amazônica e com uma matéria prima abundante e satisfatória.
O sabor das canções que cantam as coisas existentes no Amapá é degustado e aprovado pelos maiores e mais exigentes críticos da música brasileira, que já ouviram a beleza do cancioneiro tucuju. Produtores, músicos, compositores letristas, cantores e diretores brasileiros (de bom gosto), já provaram desse tempero musical regional, de um povo privilegiado que tem o seu lugar destacado em belas canções.
Os rios, povo, costumes, tradição, cultura, floresta e lugares existentes no Amapá, são exaltados com sensibilidade por quem olha para cada peculiaridade e vê o que há de mais valor na alma e no coração do povo que mora nesse caldeirão cultural. Cada uma das pessoas é parte fundamental desse belo e natural cenário cultural amazônico.
Temperar as canções amapaenses com boa letra, melodia, ritmo forte, poesia, ouvir os sons das caixas de mar-a-baixo, batucar os tambores de um lugar e de um povo, é privilégio de poucos que conseguem provar do sabor do cancioneiro tucuju. Pra completar o cardápio, uma boa pitada da voz dos cantadores que fazem ecoar pelo mundo o som que o Amapá produz. 

FESTA DA VIDA


Título do novo clipe da cantora e compositora, Lia Sophia, gravado em Alter do Chão – Santarém (PA) e lançado no último dia 6 (sexta), no canal da artista no YouTube e em todas as plataformas digitais.

MÚSICA POP


Cantores Gilberto Gil, Lulu Santos, Elba Ramalho, Sandra de Sá e Sérgio Loroza são atrações de retrospectiva 2019, da música pop na TV por assinatura.

A maratona inclui séries, documentários, videoclipes e shows ao vivo com músicos consagrados e novas promessas. O conteúdo vai ao ar a partir do dia 20 deste mês, às 18h, no canal Music Box Brazil.

QUADRILHANDO


Quadrilha Junina Rosa dos ventos vai lançar seu projeto para 2020, na quarta (11), na Boate Sub Zero (av: Feliciano Coelho) – Trem, às 20h.

BELEZA NEGRA


A jovem Josy Alencar é a Mais Bela Negra do Amapá 2019, eleita no último sábado (7), na sede de Boêmios do Laguinho. Ela representou a comunidade quilombola do Ambé.
Quem levou o título no masculino foi o jovem, Gerson Souza, representante da comunidade de Ilha redonda. Parabéns.

NOVA GERAÇÃO


Boêmios do Laguinho, mais uma vez, apostando na prata da casa para assumir o comando da bateria da escola. Mestre Anderson Beçola, auxiliado pelos diretores, Gugu, Wank, Saulo e Ismael, todos nascidos no berço do samba da Nação negra

FÉ NO SAMBA


Escola de samba Unidos do Buritizal (o azulão) vai falar da Fé, no carnaval de 2020, e está lançando seu novo samba de enredo, de autoria de Fadico e cantado por Tinga.

"CULTURA E FÉ"


Projeto “Povo de Cultura e Fé”, do jornalista Gabriel Penha, estará na última edição de 2019 do Luau na Samaúma, na sexta (13), na Praça da Samaúma – Araxá, a partir das 17h30.
A revista é uma exposição das festas tradicionais e celebrações da Vila de Mazagão Velho

OXOSSI


Oxóssi (no candomblé) ou oxósse (no omolocô) é o orixá da caça, florestas, dos animais, da fartura, do sustento. Está nas refeições, pois é quem provê o alimento. É a ligeireza, a astúcia, a sabedoria, o jeito ardiloso para capturar a caça. É um orixá de contemplação, amante das artes e das coisas belas. É o caçador de axé, aquele que busca as coisas boas para um ilé, aquele que caça as boas influências e as energias positivas.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

A Arte da Guerra Estratégias – Liderança


A Arte da Guerra é um tratado militar escrito durante o século IV a.C pelo estrategista conhecido como Sun Tzu. O tratado é composto por treze capítulos, cada qual abordando um aspecto da estratégia de guerra, de modo a compor um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Zhuge Liang, Cao Cao, Takeda Shingen, Vo Nguyen Giap e  ;Mao Tse Tung.

Desde 1772 existem edições europeias (quatro traduções russas, uma alemã, cinco em inglês), apesar de serem consideradas insatisfatórias. A primeira edição ocidental tida como uma tradução fidedigna data de 1927.
O livro A Arte da Guerra foi traduzido para o português por Caio Fernando Abreu e Miriam Paglia (1995).
Com seu caráter sentencioso, Sun Tzu forja a figura de um general cujas qualidades são o segredo, a dissimulação e a surpresa.

Hoje, A Arte da Guerra parece destinado a secundar outra guerra: a das empresas no mundo dos negócios. Assim, o livro migrou das estantes dos estrategistas para as do economista e do administrador.
Embora as táticas bélicas tenham mudado desde a época de Sun Tzu, esse tratado teria influenciado, segundo a Enciclopédia Britânica, certos estrategistas modernos como Mao Tsé-Tung, em sua luta contra os japoneses e os chineses nacionalistas.

Inclusive encontra-se nos escritos militares de Mao-Tse-Tung citações do livro A Arte da Guerra de Sun Tzu.
O general brasileiro, Alberto Mendes Cardoso, chamou o livro do Sun Tzu de clássico militar. (pt.wikipedia.org).

CINEMA

Foto: Abinoan Santiago/G1

O filme amapaense (curta metragem), “Agora Já Foi”, dirigido e roteirizado por Manuela Oliveira, com direção de atores de Thomé Azevedo, foi premiado no Festival de Filmes Transcendental de Brasília.
O filme promove a discussão sobre o aborto e o suicídio, e é utilizado nas escolas, pelo Projeto Semeador da Federação Espírita. Parabéns.

PROFISSIONALISMO


Jornalista cultural, Cláudio Rogério, comunicou em sua página no Facebook, seu desligamento da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho, onde tem um ciclo de atividades reconhecidas e respeitadas (enredos, pesquisas, concepções, direções, etc), sem falar no amor, mas esse fica guardado, pois o assunto em questão é profissionalismo.

Antes de tomar sua decisão, Rogério procurou várias vezes a direção da escola para conversar, mas não teve resposta. 

Ele recebeu propostas de trabalho de inúmeras instituições carnavalescas para 2020 e aceitou o desafio. Parabéns, pela atitude e boa sorte.

IMPERDÍVEL


Sexta (6) tem show do Grupo Fundo de Quintal, um dos maiores movimentos do samba de raiz do país.
Em frente ao colégio Azevedo Costa, entre as ruas Gal. Rondom e Eliezer Levy – Laguinho, às 23h. Realização da Seafro, Fundação Palmares e União dos Negros do Amapá (UNA). Entrada franca.

TEATRO


Dia 13 (quinta) o Grupo Língua de Trapo volta ao palco do Teatro das Bacabeiras com o espetáculo, “Bar Caboclo – Elixir da Paixão”, às 21h. Última apresentação de 2019.
Imperdível

TROFÉU LINO


Associação Amigos do Samba homenageou a senhora, Leny do Buritizal, como personalidade do samba amapaense, no Dia Nacional do Samba (2/dez.).

Ela recebeu o Troféu Francisco Lino da Silva, a maior nome do samba amapaense. Parabéns.

BREGAÇO


Cantor e compositor Mauro Cota tem agenda de shows nesta quinta (5), no “Boteco do Rodapé” (esquina da av: Presidente Vargas com a rua Hildemar Maia – Santa Rita), a partir das  23h, e no Shopping Villa Nova (av. Presidente Vargas – Centro), na sexta (6), às 20h.

APROVADO


Liesap aprova regulamento para o carnaval 2020 com disputa, sem rebaixamento, mas com a campeã do grupo de acesso subindo para o grupo especial.  
Em 2021 serão sete escolas no 1º grupo e três no 2º, com duas do 1º caindo para o acesso e a campeão do 2º subindo para o especial, ficando seis no grupo especial e quatro no acesso. Entendido?

CÁLICE


Do latim cálix ou do grego kylix que era usado nos simpósios, é um recipiente destinado a conter líquidos. É usado concretamente em certos rituais cristãos para conter o vinho com água, sendo apresentado no altar. Na missa cristã, o cálice representa o Santo Graal, ou seja, o cálice que Jesus Cristo teria usado n a Última Ceia. É usado na Liturgia eucarística e no Rito da Comunhão. Antes e depois desses momentos, ele fica vazio, de for ma que água e o vinho que serão usados na Consagração ficam em recipientes à parte, as galhetas.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Carnaval 2020


Regulamento do desfile das escolas de 
samba é aprovado com mudanças para 2020*

Em reunião ocorrida nesta terça-feira, 3, no Sambódromo, o Conselho Deliberativo da Liga Independente as Escolas de Samba (Liesap), juntamente com os presidentes das agremiações carnavalescas, aprovaram a minuta do regulamento do desfile oficial das escolas de samba para 2020. 
Um dos pontos mais discutidos foi em relação ao acesso e rebaixamento das escolas. Por unanimidade, ficou estabelecido para o Carnaval do ano que vem, que a primeira colocada do grupo de acesso subirá para o grupo especial, porém não haverá rebaixamento. 

No carnaval de 2021, portanto, haverá sete escolas no grupo especial e três escolas no grupo de acesso. Sendo que uma agremiação do grupo de acesso subirá e duas escolas do especial cairão para grupo de acesso. Voltando ao formato inicial. 

*Desfile das escolas 2020*

O desfile das escolas de samba de 2020 contará  com o apoio do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e da Prefeitura de Macapá, que, até então, são os maiores patrocinadores do evento. 

Pelo edital, publicado dia 14 de novembro pela Gestão Municipal, as agremiações poderão acessar os recursos disponíveis para a realização do desfile. 

De acordo com a Liesap, serão disponibilizados os valores de R$ 170 mil para as escolas de Grupo 1 (especial) – no total de seis vagas – e R$ 120 mil para as do Grupo 2 (acesso), quatro vagas. 


Pelo acordo, as escolas deverão atender requisitos mínimos impostos pelo edital, porém, segundo a presidente da Liesap, Lizete Jardim, o regulamento de 2020 foi adaptado para seguir às exigências estabelecidas pela Prefeitura de Macapá, uma vez que, os critérios fugiam ao regulamento anterior. 

*Requisitos mínimos para cada escola, segundo o edital:*

*Grupo Especial:*
- Mínimo de 700 brincantes; 
- 01 comissão de frente; 
- Apresentar-se com 02 casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira; 
- Pelo menos uma alegoria
- A Ala das Baianas com 25 integrantes; 
- A Bateria com 100 ritmistas; 
- Possuir alas com 60 brincantes, no mínimo.

*Grupo de Acesso:*
- Levar à avenida 400 brincantes no mínimo;
- 01 comissão de frente;
- Apresentação de um casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira; 
- Mínimo de um tripé ou uma alegoria;
- A Ala das Baianas com 20 integrantes; 
- A Bateria com pelo menos 80 integrantes; 
- Seis alas com 50 integrantes, cada.
___
*D1 COMUNICAÇÃO | Ascom/Liesap*
*Jornalistas responsáveis:*
Júnior Nery (96) 98127-1559
Adryany Magalhães (96) 99114-5442

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

NOVO SAMBA NA FAVELA



Quem está em estúdio de gravação é MARACATU DA FAVELA. 

A Verde e Rosa Tucuju providenciou diretamente do Rio de Janeiro um novo samba para o carnaval 2020, que SERÁ LANÇADO no dia 20 de dezembro, no "ENCONTRO DOS GIGANTES 2", na quadra da Verde e Rosa, no Santa Rita. 

Maracatu vem para avenida com o enredo "Solo fértil de imensos tesouros que brilham como fogo no extremo norte do Brasil"

O Samba de Enredo tem autoria de Fadico da Tijuca, e seu refrão remete a saudade do desfile da Maracatu e da comunidade do samba, depois de quatro anos sem desfile oficial.

"Eu sei que vc tem saudade de ver a Favela passar
Eis a escola do povo
Encena de novo 
Pra admirar...."

#Maracatu2020
#SouMaisSurfista
#VemProNiverdoGigante
#MaracatuSouMaisVoce

Comunicação Maracatu

Lambada de Serpente: a estranha música de Djavan



Um amigo riu quando eu disse que Djavan tem um estilo musical estranho e belíssimo. Mas é isso mesmo que penso. Ele diz coisas e canta em melodias inusitadas, cheias de beleza. Vejam só que expressão: “Lambada de Serpente”. Penso que ninguém nunca disse isso antes.

Nosso imaginário se acostumou com o sentido brega, folclórico, que foi emprestado ao termo lambada. Logo pensamos naquelas músicas de ritmo quente, comuns em festas populares de um passado não muito distante.
Impulsionados pela curiosidade que Djavan nos causou, descobrimos que lambada significa “golpe aplicado com pau, chicote ou objeto flexível”, e no sentido figurado, “crítica severa; descompostura”. Claro que também significa “dança e música sensual e em ritmo rápido”, sentido com o qual estávamos acostumados.

“Nunca ninguém falou como este homem”. Assim disseram a respeito de Jesus Cristo. Poderíamos dizer algo semelhante à obra de Djavan: “Nunca ninguém cantou como este homem”.

Em uma de suas entrevistas na TV, o cantor se mostrou familiarizado e despreocupado com a aplicação do adjetivo “estranho” à sua obra. Diz ele: “Quando fui ser ouvido pela primeira vez, já houve essa polêmica. “Você tem algum talento, mas a música que você faz é muito estranha. Não se sabe onde está a primeira parte, é complicado, você tem que muda r isso, fazer uma coisa mais acessível para facilitar sua própria vida”. Tinham razão os que falavam assim, mas outros também disseram: Não, essa coisa estranha é o seu trunfo, não mexa nisso. Você vai sofrer mais, vai ter mais problemas, mas vá em cima disso”.
A estranheza se dá, obviamente, pelo fato de estarmos a ouvir algo que nos parece inédito. Também, por estarmos a ver uma coisa que, à primeira leitura-escrita, não nos penetra o entendimento. Quando nos pomos a tentar acompanhá-lo, sentimo-nos como se nos expressássemos num outro idioma. Sentimo-nos papagaios repetindo o que alguém disse. Todavia, aquilo que só entendemos a custo, nos soa belíssimo e extremamente poético. Por ser poético, compreendemos, trata-se de algo indizível. Temos que nos content ar com o pouco que conseguimos ver, mas que nos faz tanto bem.

“Cuidá dum pé de milho que demora na semente - meu pai disse: meu filho, noite fria, tempo quente. Lambada de Serpente, a traição me enfeitiçou – quem tem amor ausente já viveu a minha dor. No chão da minha terra um lamento de corrente – um grão de pé de guerra pra colher dente por dente”. (www.apoesc.blogspot.com.br).

BELEZA NEGRA

Foto: Philipe Gomes
Está confirmado para acontecer no sábado (7), na sede de Boêmios do Laguinho, a partir das 21h, o tradicional concurso A Mais Bela Negra e O Mais Belo Negro do Amapá. 24 candidatos estão na disputa, sede 12 mulheres e 12 homens.

PRAZO


Encerra dia 14 de dezembro, o prazo de 30 dias, para as escolas de samba do Amapá se inscreverem no Edital, da Prefeitura de Macapá, que garante recurso para o carnaval de 2020.

Como exigência do Edital, é preciso que todas as escolas estejam com suas documentações legalizadas.

VAI COMEÇAR

Foto: Blog Alcineia

Ritmistas da bateria de Piratas da Batucada, batizada de “Majestosa”, irão iniciar seus ensaios para o carnaval 2020, a partir do próximo dia 19, na Praça N.S. da Conceição – Trem, a partir das 20h.

POESIA NO RIO


Dia 13 de dezembro (sexta), durante o Luau na Samaúma, a partir das 17h30 (em frente ao Ministério Público – Araxá), será lançado o livro “Poesia de Rio”, do escritor Mauro Guilherme.

BELA HOMENAGEM

Foto: Cláudio Rogério
Cantor e compositor amapaense, Paulinho Bastos, será o grande homenageado da 16ª edição do Sescanta Amapá, que está agendado para acontecer na sexta (6), no Sesc Araxá, às 20h. Homenagem merecida.

CORTEJO

Foto: Divulgação Banzeiro

Dia 21 de dezembro vai acontecer o Cortejo de Natal do Banzeiro do Brilho-de-Fogo, pelas ruas do Centro de Macapá.
Os ensaios e oficinas iniciam na sexta (6), na Praça Floriano Peixoto - Centro, às 19h. É para todas as idades. Vai lá.

SESCANTA 2019


Sexta (6) será realizada a 16ª edição da mostra de música Sescanta Amapá, no salão de eventos do Sesc Araxá, a partir das 20h. O objetivo desse projeto é fomentar a música amapaense e destacar os artistas que a interpreta.

Serão apresentadas as 10 composições inéditas selecionadas para a mostra de 2019: Ancorada (Brenda Melo), Areia do Mar (Tamar Hadassa Oliveira), Carpideira (Osmar Júnior e Bruno Muniz), Corpo Capim (Fábio Pontes), Depressão (Carla Adriana), Umbigo da Terra (Ademir Pedrosa), Menestrel do Laguinho (Chermont Júnior), Não Sou Obrigado (Dimisson Monper), Prisma da Paixão (Nice Sales), Zeca (Aroldo Pedrosa).

OBÁ


Orixá africana do Rio Obá ou rio Níger, primeira esposa de Xangô, identificada no jogo do merindilogun pelos odu odi, obeogunda e ossá. Também conhecida no Catolicismo como Santa Joana D'Arc. Guerreira, veste vermelho e branco, usa escudo, Arco e flecha Ofá. Obasy é a senhora da sociedade elekoo, porém no Brasil esta sociedade passou a cultuar egungun. Deste modo, obasy é a senhora da sociedade lesse-orixá. Obá representa as águas rev oltas dos rios. As pororocas, as águas fortes, o lugar das quedas são considerados domínios de Obá.

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

ENTRE O ASFALTO E O CÉU AZUL

2019 é o ano em que marca os 30 anos do antológico álbum "SENTINELA NORTENTE" - primeiro álbum da quadrilogia musical do Movimento Costa Norte, projeto que abraçou as seguintes obras fonográficas que cantam a Amazônia.

Sentinela Nortente - Amadeu Cavalcante
Revoada - Osmar Junior
Vida Boa - Zé Miguel
Formigueiro - Val Milhomem


Ontem, 28 de novembro, o programa "O CANTO DA AMAZÔNIA" com Heraldo Almeida-cultura Amapaense recebeu esses dois monstros consagrados da música brasileira e nos degustamos de uma canção estilo "lado B", que tem uma letra bem atual.

Música: Entre o Asfalto e o Céu Azul
Autor: Osmar Junior
Cantores: Amadeu Cavalcante e Osmar Junior

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Cultura e Turismo juntos pelo fortalecimento de nossa identidade


O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e o secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, estão promovendo uma série de reuniões de trabalho com o intuito de promover a integração dos órgãos conforme decretos da presidência da República, publicado nos últimos dias 07 e 08 de novembro.

O trabalho das equipes técnicas tem como objetivo garantir que as duas atividades, tão importantes para a população – Turismo e Cultura -, contribuam para o engrandecimento do cidadão, o fortalecimento de nossa identidade nacional e, também, para a geração de emprego e renda. A tarefa conta ainda com apoio do Ministério da Cidadania.

O mais importante no momento é assegurar que não haja ações descontinuadas e que elas possam, sobretudo, ser potencializadas.

Estão sendo avaliadas todas as formas de estímulo para que os recursos orçamentários sejam aplicados com foco na valorização das culturas regionais que compõem a identidade do nosso país, sem viés ideológico ou partidário, juntamente com as ações locais de infraestrutura e promoção turística. (www.cultura.gov.br).

ROSSI


Essa agenda é imperdível. Sábado (30) o cantor popular, Astor Barros, vai homenagear o eterno Reginaldo Rossi, com o show Cabaret do Rossi.

Na sede da AABB (Rodovia Duca Serra), com participação especial da banda Yesterday Hits, a partir das 21h. Informações: 99113-6474.

VAMOS CANTAR


No domingo, 1, vários sambistas resolveram antecipar as comemorações do Dia Nacional do Samba, que é celebrado em 2 de dezembro.
Eles vão homenagear o saudoso e eterno carnavalesco Manoel Torres, num tributo regado a muito samba.
O show vaia acontecer na sede da Associação Padre Vitório Galliani, na Rodovia JK, a partir das 11h. Vários grupos de artistas estarão presentes. Informações: 98111-1611/99187-4513.

ESTILIZANDO


Dia 4 de janeiro, Piratas Estilizados vai completar seus 46 anos de carnaval e vai comemorar em grande estilo, com o show “Vem Pro Meu Samba”.

Atrações: os intérpretes cariocas Emerson Dias (Salgueiro) e Bakaninha (Beija Flor), passista Luana Bandeira e a bateria e cantores de Piratas da Batucada. Na quadra do colégio Azevedo Costa, a partir das 20h.

REFORÇO


Escola de samba Piratas Estilizados contratou três grandes reforços, do Rio de Janeiro, para o seu carnaval de 2020.
Os intérpretes Emerson Dias (Salgueiro), Bakaninha (Beija Flor), e a Rainha de Bateria Luana Bandeira.

BENEFICENTE


Dia 11 de dezembro a família de Gil Rabelo, vai realizar a Rifa Beneficente com sorteio de vários prêmios, em prol de sua saúde.

O sorteio vai acontecer durante o programa, “O Canto da Amazônia” (Diário FM 90,9), das 16h às 17h30.  Compre sua cartela pelos telefones: 99138-8733/99121-8977. As doações em dinheiro estão sendo depositadas na conta: corrente 54.563-5, Agência: 2825-8 Banco do Brasil. Vamos contribuir.

AGORA ESTAMOS NO SITE.

 ACESSEO SITE  O CANTO DA AMAZÔNIA   E ACOMPANHE TUDO SOBRE A CULTURA DA AMAZÔNIA