terça-feira, 30 de julho de 2019

Conheça o beija flor Brilho-de-Fogo


Raridade – Privilégio
O beija-flor-brilho-de-fogo (Topaza pella) é uma ave da família Trochilidae. As terras amapaenses abrigam o beija-flor que é considerado o maior e mais bonito espécime existente no Brasil. Seu nome científico é Topaza Pella, mas é mais conhecido como Beija-flor-brilho-de fogo ou topázio-vermelho. Também é encontrado em Roraima, Pará, Maranhão, nas Guianas, Venezuela e Leste do Equador.
O macho, com cerca de 20 centímetros de comprimento (incluindo aqui a cauda, com duas penas alongadas e cruzadas), tem a garganta dourada ou verde-metálica, com a barriga vermelha-metálica. Já a fêmea, menor (cerca de 12 centímetros), é verde-amarronzada, também com garganta vermelha-metálica.
Eles constroem seus ninhos em galhos debruçados sobre os igarapés. Estes possuem forma de taça. Antes, durante as cerimônias pré-nupciais, o macho bate as asas diante da fêmea pousada, abrindo e fechando a cauda. O beija-flor costuma tomar banhos em riachos e igarapés, onde chega a nadar sob a água em trajetos curtos. Para se secar, sacode a plumagem em pleno o voo. São poucos lugares que se tem a chance de se deparar com esse bichinho, mas encontrá-lo é um momento inesquecível.
O macho mede cerca de 20 cm de comprimento (mais da metade corresponde à cauda) e a fêmea 12 cm. O macho tem duas penas da cauda muito alongadas e cruzadas, garganta dourada ou verde-metálica e barriga vermelha-metálica e a fêmea é verde-amarronzada com garganta vermelha-metálica. (pt.wikipedia.org).

NOVIDADE

Foto: Chico Terra
Criado há dois meses o Guá Movimento do Marabaixo Estilizado do Amapá, vem chamando a atenção pela criatividade dos jovens que formam o grupo, no cantar, no repertório, e principalmente de incluir, além das tradicionais caixas, instrumentos de harmonia (violão, baixo, flauta, cavaco e reco), tornando mais atrativas e espetaculares as suas apresentações. Parabéns.

DESTAQUE


O jovem sambista amapaense, cantor e compositor, Darlan Ribeiro, é um dos concorrentes no Festival de Samba Enredo da Mocidade de Padre Miguel, no Rio de Janeiro.
O enredo para o carnaval 2020 da Mocidade é “Elza Deusa Soares”, homenageando a cantora Elza Soares, uma das intérpretes da música popular brasileira.

ELEIÇÃO


Com a criação da cadeira específica do Marabaixo no Conselho Estadual de Política Cultural/AP, muitos nomes estão aparecendo para concorrer, e um deles é de um jovem negro morador do Laguinho, da tradicional família do Mestre Sacaca.
A eleição está marcada para acontecer no dia 30 de agosto.

"AMANDA"


Título do longa-metragem amapaense que está sendo gravado em chão tucuju, com atores daqui e do cenário nacional.

BICAMPEÃO

Foto: Rede Amazônica/Reprodução
Restaurante Bom Preço conquistou o título de Melhor Camarão no Bafo do Macapá verão deste, no sábado (27), em Fazendinha, tornando-se bicampeão - 2018/2019. Parabéns, ao mestre Burico.

JONGO


Patrimônio Cultural do Brasil desde 2005, o jongo é uma manifestação cultural de origem africana, trazida pelos negros escravizados durante o período colonial. 
A dança coletiva, o canto, a percussão de tambores e elementos místicos representam a preservação da ancestralidade negra para comunidades de diversas regiões do País.
É praticado principalmente na região sudeste, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. (www.cultura.gov.br).

ESTAÇÃO LUNAR


Quinta (1) é a última edição do Estação Lunar 2019, com mais um timaço de artistas cantando a Amazônia, às margens do rio Amazonas, a partir das 19h, no balneário de Fazendinha.
Atrações: Banda Suite Popular, Grupo de Marabaixo Manoel Felipe, Enrico Di Miceli, Joãozinho & Val Milhomem, Patrícia Bastos e Trilogia (Nilson Chaves, Lucinha Bastos, Marco Monteiro). Encerramento oficial do Macapá verão 2019.

CULMINANTE


O mais elevado; que alcançou o grau mais elevado em alguma coisa: aquela premiação foi o evento culminante de sua carreira. Ponto Culminante. Diz-se da parte mais elevada de uma coisa: o cume do monte Branco é o ponto culminante dos Alpes. O lançamento destes projéteis, que são a estrela do programa balístico iraniano, representa o ponto culminante das manobras com mísseis realizadas pela Força Aérea da Guarda Revolucionária em diferentes partes do país.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Songbook do Mestre Nonato Leal é lançado nesta terça, 30


O songbook com partituras instrumentais de autoria do músico Nonato Leal será lançado nesta terça-feira, 30, às 16h, na praça Floriano Peixoto. A obra é uma iniciativa da Prefeitura de Macapá, proposta na gestão do prefeito João Henrique, e que na atual gestão foi resgatado e atualizado. São dez partituras de músicas autorais, que eternizam o talento de Nonato Leal, que completou recentemente 92 anos. O songbook é traduzido para a língua inglesa e conta a história musical e de vida do mestre.


Raimundo Nonato Barros Leal nasceu no município paraense de Vigia, onde aos 8 anos iniciou com o pai sua trajetória musical. Ao completar 18 anos sabia tocar nada menos que violino, banjo, violão tenor, viola e bandolim, e antes dos 20 anos fez sua primeira composição, Tauaparanassu, quando seguiu para Belém onde fez parte do elenco da Rádio Clube do Pará e conquistou espaço em cadeia nacional no Rio de Janeiro, imitando o violonista Dilermano Reis. Passou pela Rádio Marajoara por onde percorreu o Pará com músicos e cantores da emissora.

Sua chegada em Macapá foi no ano de 1952, atendendo convite de seu irmão Oleno Leal, e logo entrou para a Rádio Difusora de Macapá. No ano seguinte se encantou com Paracy Leal, com quem casou e gerou seis filhos, sendo dois herdeiros do talento musical do pai, Venilton e Vanildon Leal. Ângela Maria, Nelson Gonçalves, Waldick Soriano, João do Valle, Luiz Gonzaga, Agnaldo Rayol, foram alguns dos artistas que o mestre acompanhou. Participou de programas de Rádio no Ceará, e caiu no samba, compondo enredos para agremiações carnavalescas de Macapá.


Nonato Leal foi o primeiro professor de violão do antigo Conservatório de Música, e introduziu dezenas de alunos na arte musical. Deixou registrado suas composições em três CDs, dois produzidos pelo maestro Manoel Cordeiro, lamento Beduíno e Coração Popular, e um por Venilton Leal, com quem atuou na TV Tucuju o programa De Pai pra Filho. Sebastião Mont’Alverne, Amilar Brenha, Hernani Guedes, Aimirezinho, Manoel Cordeiro foram alguns músicos que dividiram palco com Nonato Leal.

Na gestão do prefeito Clécio Luiz o projeto Mestres da Música foi resgatado, e a intenção e executá-lo inteiro, com a produção dos songbooks de mais três músicos regionais, Amilar Brenha, Oscar Santos e Professor Tiago. Uma equipe de renome e experiente assumiu a condução do trabalho, formada pelos músicos Fernando Canto, Alan Gomes, Miguel Maus e Nelson Santos, e os colaboradores da PMM, Clícia Di Miceli e Sérgio Lemos. As fotos que ilustram a obra são de Henrique Silveira, Jelbes Lima, Max Renê e Nay Magalhães.

Mariléia Maciel

Assessoria de Comunicação

sábado, 27 de julho de 2019

BENEFICENTE


Dia 3 de agosto (sábado) vai acontecer um festival de prêmios para ajudar no tratamento de saúde do artista, Alex Ferreira. Na sede do Império Solidariedade, a partir das 18h.
Várias atrações artísticas estão confirmadas, como: Troup Tribal, Essência da Amazônia, Amigos da Toada, Guerreiros Wayana, Mistério Amazônico, etc. Alex milita nos segmentos da Toada, Carnaval, Quadra Junina e outros. Informações: 99149-1672.

CAMARÃO NO BAFO


Hoje, (27) vai acontecer o tradicional concurso “Melhor Camarão no Bafo”, fazendo parte da programação do Macapá Verão 2019.
No balneário de Fazendinha, a partir das 20h, com a cantora, “Ágada”, animando o evento com um belo repertório da boa MPB.

CANTANDO NO RÁDIO


O projeto “Elas Cantam no Rádio – As Cantoras do Brasil nas décadas de 40, 50 e 60” vai apresentar as cantoras Patrícia Bastos (Amapá – Brasil) e a cantora carioca, Lívia Nestrowski, homenageando as cantoras do rádio.
Esse show vai reunir duas expressivas intérpretes contemporâneas da música popular brasileira, acompanhadas por uma orquestra base composta por doze músicos, com novos arranjos e direção artística do maestro, Rodrigo Morte (arranjador da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo). O show será dedicado ao canto de Dolores Duran.Dia 30 de agosto, no Teatro Sesc 24 de Maio, em São Paulo, às 20h.

Patrícia Bastos é contemplada no Programa Caixa Cultural



Música - Amazônia

A cantora amapaense Patrícia Bastos teve seu projeto musical aprovado no Programa Caixa Cultural 2019, para circulação de show musical em quatro capitais brasileiras: São Paulo (SP), Salvador (BA), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE). 
Entre os 150 projetos selecionados em todo o país, aprovação se deu a partir da inscrição feita pela Duas Telas Produções, no Edital da Caixa Econômica Federal (Programa Caixa Cultural), aberto ainda em 2018 para patrocínio de propostas de espetáculos culturais nas áreas da música, teatro, dança, exposições de artes visuais, dentre outros. A circulação com quatro apresentações musicais está prevista já para o segundo semestre deste ano. 
Patrícia que já teve o CD Baton Bacaba selecionado no Programa Cultural Natura Musical, confirma com essa nova circulação, sua qualidade de intérprete diferenciada em composições musicais que falam das coisas típicas do modo de vida da Amazônia, tendo um conceito rítmico fundado nos sons dos tambores do Marabaixo e Batuque dos Quilombos do Amapá, bem como na influência da sonoridade típica da região caribenha, misturas que certamente causaram grande interesse e selaram a escolha do projeto. (Josimar Barros - Duas Telas Produções).









Área de anexos

QUALIDADE


A alegria, simplicidade e o carisma desse cara conhecido como “Burico”, é o que atrai a clientela para o restaurante Bom Preço, em Fazendinha, sem falar na qualidade do produto, é claro.
Em 2018 ele venceu o concurso de “melhor camarão no bafo” do Macapá Verão. Merece o reconhecimento.

TUDO PARADO


Pelo quinto ano consecutivo o carnaval, de 2020, das escolas de samba do Amapá pode não acontecer por falta de atitude, iniciativa, organização, planejamento, responsabilidade, etc.
Nem Liesap e nem escolas estão se manifestando para dar satisfação à população que participa dessa tradicional festa da cultura popular.

"CULTURA VIVA"


A Política Nacional de Cultura Viva está completa cinco anos, esta semana e foi instituída pela lei 17.018/2014.
Conhecida como principal instrumento, os chamados pontos e pontões de cultura, constituídos por grupos ou coletivos que articulam atividades culturais nas mais diversas cidades de todas as regiões do Brasil. (www.cultura.gov.br).

CAETANO VELOSO


Caetano Emanuel Viana Teles Veloso, nascido em Santo Amaro, Bahia, em 7 de agosto de 1942). É é um músico, produtor, arranjador e escritor brasileiro. Com uma carreira que já ultrapassou cinco décadas, Caetano Veloso, construiu uma obra musical marcada pela releitura e renovação e considerada amplamente como possuidora de grande valor intelectual e poético. 

quarta-feira, 24 de julho de 2019

VIOLA CAIPIRA


Viola caipira, também conhecida como viola sertaneja, viola cabocla e viola brasileira, é um instrumento musical de cordas. Com suas variações, é popular principalmente no interior do Brasil, sendo um dos símbolos da música popular brasileira.
Tem sua origem nas violas portuguesas, oriundas de instrumentos árabes como o alaúde. As violas são descendentes diretas da guitarra latina, que, por sua vez, tem uma origem arábico-persa. As violas portuguesas chegaram ao Brasil trazidas por colonos portugueses de diversas regiões do país e passou a ser usada pelos jesuítas na catequese de indígenas. Mais tarde, os primeiros caboclos começaram a construir violas com madeiras toscas da terra. Era o início da viola caipira.
Existem várias denominações diferentes para Viola, utilizadas principalmente em cidades do interior: viola de pinho, viola caipira, viola sertaneja, viola de arame, viola nordestina, viola cabocla, viola cantadeira, viola de dez cordas, viola chorosa, viola de luzviola serena, viola brasileira, entre outras.
A viola caipira tem características muito semelhantes ao violão. Tanto no formato quanto na disposição das cordas e acústica, porém é um pouco menor. Existem diversos tipos de afinações para este instrumento, sendo utilizados de acordo com a preferência do violeiro. As mais conhecidas são Cebolão, Rio Abaixo, Boiadeira e Natural. É comum a utilização da afinação Paraguaçu pelos repentistas nordestinos, apesar de também ser encontrada na região do Vale do Paraíba.
A disposição das cordas da viola é bem específica: 10 cordas, dispostas em 5 pares. Os dois pares mais agudos são afinados na mesma nota e mesma altura, enquanto os demais pares são afinados na mesma nota, mas com diferença de alturas de uma oitava. Estes pares de cordas são tocados sempre juntos, como se fossem uma só corda.
Uma característica que destaca a viola dos demais instrumentos é que o ponteio da viola utiliza muito as cordas soltas, o que resulta um som forte e sem distorções, se bem afinada.

CONSELHEIRO

Foto: Cláudio Rogério.

Músico, cantor e compositor, Cléverson Baía, é o novo presidente do Conselho de Política Cultural do Amapá.
O artista é qualificado para exercer a função. Parabéns e boa sorte.

AGORA ESTAMOS NO SITE.

 ACESSEO SITE  O CANTO DA AMAZÔNIA   E ACOMPANHE TUDO SOBRE A CULTURA DA AMAZÔNIA